Encontrado Corpo de Ativista Desaparecido, Santiago Maldonado

Desaparecimento de Maldonado provoca clima de comoção na Argentina e gera debate na campanha eleitoral para o legislativo, marcada para este domingo.

81

Por BBC 

Há dois meses a Argentina se pergunta onde está o artesão Santiago Maldonado, de 28 anos, desaparecido desde o dia 1º de agosto, quando participava de um protesto de apoio à causa dos indígenas mapuche no sul do país. Além da comoção, a história dele passou influenciar a campanha eleitoral em curso no país.

O artesão, que também era tatuador, ativista político e defensor de direitos humanos, sumiu ao tentar escapar de policiais que controlavam um protesto de uma grupo indígena chamado Mapuches, que haviam fechado uma estrada em Esquel, na Patagônia.

O caso tem alimentado o debate eleitoral – opositores acusam as forças de segurança do governo de Maurício Macri de terem agido com violência e de serem os responsáveis pelo desaparecimento.

Foto: AFP/ Eitan Abramovich

No dia 2 de setembro, ao completar um mês do desaparecimento, aconteceram protestos no centro de Buenos Aires com manifestantes exigindo o aparecimento com vida do ativista. A manifestação terminou com violência tanto por parte policial como de alguns grupos de manifestantes encapuzados que vandalizaram prédios públicos. A polícia prendeu cerca de cem pessoas.

Foto: REUTERS

Na terça-feria, dia 17, menos de uma semana das eleições legislativas, um corpo foi encontrado no rio Chubut – Patagônia, no sul da Argentina em um local onde os grupos de busca já haviam passado várias vezes.

O corpo foi trasladado a Buenos Aires e, após autópsia que levou 15 horas com a presença de familiares e de membros do judiciário, foi confirmado que era de Santiago Maldonado.

Às vésperas da eleição para o legislativo, marcada para o domingo, discussões sobre o local exato onde o corpo foi encontrado, as roupas que vestia, estatura, além da temperatura da água do rio e informações sobre os cães que o localizaram, passaram a dominar o noticiário argentino.

+Leia mais: Cristina Kirchner volta ao cenário político na Argentina

A repercussão na campanha foi direta. Na quarta-feira, um dia depois da localização do corpo no rio Chubut, candidatos suspenderam suas campanhas eleitorais.

O presidente Mauricio Macri cancelou o último comício que faria para pedir votos para seus candidatos antes da eleição. Opositores como a ex-presidente Cristina Kirchner, candidata ao Senado e o ex-chefe de Gabinete da Presidência, Sergio Massa, candidato a uma cadeira na mesma Casa, também anunciaram que cancelaram seus atos políticos.

Em uma campanha marcada pela apatia do eleitorado, com pouca movimentação nas ruas e nas redes sociais, a comoção sobre o corpo achado ocupou o vazio deixado pelo desinteresse dos eleitores e pela falta de debate das propostas que os postulantes pretendem levar para o Congresso Nacional.

À espera do DNA

A imprensa local especulou, a partir de informações atribuídas a peritos não identificados, que o corpo seria mesmo de Maldonado, visto pela última vez há quase 80 dias.

A promotora do caso, Silvina Avila, confirmou que um corpo foi encontrado por cães em uma das áreas onde o rapaz era procurado, mas, assim como o juiz que investiga o paradeiro e a família dele, pediu cautela até que saia o resultado de DNA.