Ex-vice-presidente Argentino é Preso em Caso de Corrupção

O cerco da justiça argentina se fecha ainda mais contra os casos de corrupção do governo anterior e agora chega ao ex-vice-presidente

18

Por: Reuters

Amado Boudou, ministro da economia e vice-presidente no mandato da ex-presidente argentina, Cristina Kirchner, foi preso hoje em uma acusação de corrupção.

A polícia prendeu Boudou e um suposto parceiro, José Maria Núñez Carmona, em Puerto Madero, bairro nobre de Buenos Aires, por suspeita de lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito, informou a agência de notícias estatal Telam.

As imagens da televisão local mostraram Boudou ao lado de dois oficiais de segurança.

Ele negou as irregularidades no passado.

O economista de 55 anos enfrenta três processos de “enriquecimento ilícito” desde 2009, ano em que foi promovido da direção da administração da segurança social argentina para se tornar o ministro da economia de Kirchner.

+Leia mais: Os Olhares da Justiça Apontam a Cristina Kirchner

Dois anos depois, em 2011, ele se tornou vice-presidente quando a então presidente argentina ganhou a reeleição.

“Eles desenvolveram seus esquemas criminosos pelo menos desde o início de agosto de 2009, quando Amado Boudou assumiu o cargo de Ministério da Economia e Finanças, até o mês de dezembro de 2015, quando terminou seu mandato como vice-presidente”, de acordo com o mandado de prisão.

Os casos foram um constrangimento para Cristina, que ganhou um assento no Senado da Argentina no mês passado, representando a província de Buenos Aires. A própria Kirchner enfrenta acusações de corrupção, mas, como senadora, é imune à prisão.

Ela foi indiciada no ano passado por acusações de que ela e seu secretário de obras públicas, José López, desviaram dinheiro para projetos rodoviários. Lopez foi preso em junho de 2016 enquanto tentava esconder sacos de dinheiro em um convento católico.