A Argentina Ganha! O iPhone Mais Caro do Mundo Não é Brasileiro

Se você está achando que o iphone x mais caro do mundo é o brasileiro, se enganou, existe um lugar que o preço brasileiro ainda não vai ser o mais alto para o novo celular da Apple.

179

Toda vez que alguém perguntar se vale a pena pagar US$ 1.000 em um iPhone X, um argentino vai rir muito.

Graças ao coquetel habitual de tarifas de importação, à desvalorização da moeda e aos impostos sobre as vendas, o iPhone mais caro da história da Apple é duas vezes mais caro na Argentina comparado aos seu preço nos Estados Unidos.

Dois distribuidores autorizados pela Apple colocaram em pré-venda o iPhone X em terras hermanas. O modelo básico, com 64 GB de armazenamento, custa 43.000 pesos argentinos que são 2.300 dólares ou 7.166 reais e pode aumentar até 55.000 pesos argentinos que são cerca de 3.000 dólares ou 9.166 reais, considerando a cotação de hoje. O cliente pode também optar por financiá-lo em 18 parcelas.

E o prêmio de Iphone X mais caro do mundo vai para….

De acordo com o jornal La Nación, o Iphone X é o telefone mais caro do mercado local e vem com um aumento de 100% em relação ao preço internacional.

O resultado é comparável ao preço do mesmo produto no Brasil, mas está longe do que custa adquirir o telefone da Apple em outros países:

  • Nova York: 1.090 dólares
  • México: 1.250 dólares
  • China: 1.300 dólares
  • Espanha: 1.400 dólares
  • Chile: 1.600 dólares
  • Brasil: 2.200 dólares
  • Argentina: 2.300 dólares

Esta sobretaxa é explicada principalmente pela tarifa que a Argentina impõe aos produtos importados.

O “imposto tecnológico”, que foi introduzido em 2009 para aumentar a competitividade da indústria nacional, é o que faz hoje um Galaxy Note 8 montado na Tierra del Fuego (Ushuaia) custar 40% menos do que um iPhone X da China.

Felizmente para os adeptos da Apple, esta tarifa já caiu de 35% para 0% para computadores e de 17% para 10,5% para os smartphones. Mas ainda existem muitas outras variáveis ​​que aumentam o preço final de produtos como o iPhone na Argentina.

Leia Mais:

O IVA (Imposto ao Valor Agregado) de 21%, por exemplo (nos Estados Unidos oscila entre 7 e 10%), ou os custos de financiamento do importador, que deve pagar antecipadamente o aparelho, seu transporte e seu seguro, estimando a evolução do dólar e a inflação na Argentina (que não é baixa) no momento da venda.

No final, muitos argentinos decidem comprar o telefone fora do país, em uma viagem aos Estados Unidos ou um passeio de compras no vizinho Chile.

No entanto, o tesouro público apenas contempla um limite de compras internacionais de 300 dólares por pessoa para a importação e, por lei, é necessário pagar 50% de imposto alfandegário (cerca de 650 dólares para um iPhone X comprado no Chile) ao retornar ao país.

Via: La Nación

Comentários

comentários